sábado, 14 de junho de 2008

héritage ~

Posso me acomodar e ser como todo mundo. Posso entrar na faculdade visando o mercado de trabalho e essa coisa toda de ganhar dinheiro. Ou então posso fazer como todos que tem uma história pra contar fizeram...

•••

Sean, seu pai quer lhe contar sobre a sua vida. Quero falar sobre como as coisas tem que ser. Você tem que parar as brincadeiras e começar a estudar. Eu estudei muito pra entrar na faculdade. Não esta fácil conseguir um emprego e ganhar o que eu ganho hoje. Foram 4 anos de diversão e dedicação. Quero que você se prepare pra isso. Largue essa banda, largue as telas e tintas e o palco. Pegue um livro.

•••


Sean, seu pai quer lhe contar sobre toda a sua vida. Filho, eu não pensava como os outros. Não aprendi a me alimentar de competições e de dinheiro. Aprendi a me alimentar de palmas. Um dia larguei tudo e vim pra cá. Decidi pintar a cara e subir num palco. Alimentei a alma, nutri o espírito. Larguei os cálculos, fiz teatro. Vivi a minha vida, a de meus personagens. Vi que o mundo era pequeno, carnavalisei, caetaniei - conheci o universo na rua.

•••

De qualquer forma construímos histórias. Só que uma mais interessante que outra. Eu sei o que o meu guri vai preferir. Se são 50 centavos pela questão de matemática ou por encenar na porta do cursinho. Se é ter a mesma herança que todos os seus amigos - ou e é ter orgulho do homem que chama de PAI enquanto os outros gritam: bravo! bravo!

•••

Sean, o mundo é bem maior que isso. Tem que se passar pela casca pra chegar ao doce. Vamos, agora me deixe só. Digo que não vá, só para que quando você saia possa contar que fugiu. Da luta não se retire!

15 comentários:

Anônimo disse...

Qual herança você vai deixar pro seu filho?

Anônimo disse...

Acho que a melhor herança é a liberdade de expressão e escolha, pois assim Deus nos fez, nos deixando o livre arbítrio..

Anônimo disse...

ainda estou planejando ...

Anônimo disse...

o tempo é curto.
a gente deixa o livre arbítrio,
mas de resto a gente começa agora.

Anônimo disse...

Obrigada Príncipe por visitar meu blog!
Bjos!!

http://mondedeimagination.blogspot.com/

Anônimo disse...

Ainda n sei...
Só espero que eles sintam orgulho de mim(os três!)!

Bjo

Anônimo disse...

três!? minha nossa! rsrs
vão sentir siiiim!

Anônimo disse...

eu estou me sentindo bem assim. vou largar tudo isso e deixar pros meus filhos (isso se eu tiver algum) um baralho de copas, um circo e algumas outras coisas que estão por vir

Anônimo disse...

bruna é um talento. gostei do circo!

Anônimo disse...

Bom. Comecei, da herança da minha mãe viva e do meu avô, a edificar o que pretendo que seja, para Lis, seu forte, seu castelo, seu barraquinho à beira-mar.
Já ganhei cinquenta centavos ... encenando, é claro.
E é por ela que volto pra sala de aula depois do 'show'.
E é por ela que penso em ir embora.
É por Lis, meu futuro, que sigo.

~ Tio Victor, preciso de você nessa missão. Você prometeu ^^

Anônimo disse...

Legal que tu entende este 'estado'...
é algo como tu olhar pras coisas e não ver nada, é tu pensar em algo.. e não entender nada..
e fica sem saber o porquê...


cara, teu texto é magnifico! adorei isso..
bá, eu ja pensei muito nisso... nessa história de se dar bem na vida.
por isso que irei começar a fazer minha faculdade de Cinema...
ehehe!
um abraço cara!

Anônimo disse...

adorei seu texto, magnifico!
amei seu comentario no meu blog, fez eu viajar ainda mais na minha historia
bj

Anônimo disse...

muito mais do que só o dinheiro, que eles tenham orgulho, quem falem: -essa é a minha mãe!,



muito bom o texto
www.sorrisosdeplasticos.blogspot.com/

Anônimo disse...

Eu já fiz uma listinha do que eu quero de herança.
Além do nome, eu quero os talentos de minha mãe e do meu pai em uma bandeija!
:)

Anônimo disse...

é uma injustiça com os canhotos mesmo...Por isso virei destra aparti de agora

shuashuashua