terça-feira, 14 de setembro de 2010

Amor em demanda 2


Estão todos no ar, ao redor. Estranhamente com olhares de percepção. Eu posso sair por essas curvas, devastando cinco sentidos, ou posso sentar aqui e esperar a poeira baixar. Posso rasgar esse tormento, procurar pelo sentido sexto, de quebra, devastar-me. As sensações caminham descoreografadamente pela minha pele. Há algo que me compõe nessa multidão. Resultado de uma soma de tantos corações. Visão em túnel. Susto e espreguiçar. Erguer as pálpebras e a coragem. Livrar-se dos cobertores e da agonia. Resta o dia inteiro.

Chão frio. Luz à cegar. Ouço o vento e automóveis. Cessam. Ouço vozes que estão em mim.