terça-feira, 20 de maio de 2008

Do nada

Eu não lamento nada. Acho que pra respirar de uma maneira diferente - recomeçar - não é necessário apenas que esqueçamos o que de ruim nos fizeram. Pra balança zerar é preciso que todo bem vá junto. Tudo. Pra não haver comparações. Com minhas lembranças acendi o fogo. Minhas mágoas, meus prazeres. Não preciso mais deles! É necessário ser indiferente agora. Je ne regrette rien. Nada de nada. Está pago, varrido, es que ci do. Não me importa o passado! Varridos os amores E todos os seus "tremolos". Varridos para sempre. Je repars à zéro! Não,
rien de rien ~
Não! Eu não lamento nada... Nem o bem que me fizeram. Nem o mal - isso tudo me é igual!
C’est payé, Balayé, Oublié. - Recomeço do zero.

5 comentários:

Rα i sα ~ disse...

Non, rien de rien.
Non ...
Car ma vie, car ma joies,
aujourd'hui,
ça commene avec toi!






favor, não esquecer essa parte!

Tathinha disse...

Não! Eu não lamento nada... Nem o bem que me fizeram. Nem o mal - isso tudo me é igual!

- e que tudo mais vá pro inferno, meu bem -


tô de volta, meu amor.
voltei, agora é pra ficar ... pois aqui, aqui é meu lugar ~

Victor Moraes, disse...

Rai... não esquecerei jamais esta parte!

Tatha... uhuuu que bom!
vamos nos divertir muito por aqui
ainda! ^^

Rα i sα ~ disse...

- e que tudo mais vá pro inferno, meu bem - [02]

Dan Souza disse...

Não, eu não lamento de nada! [02]

E que tudo mais vá pro inferno, meu bem. [03]