quarta-feira, 23 de abril de 2008

Dos personagens

Sem horas e Sem Dores, de repente a música pára!
O cantor usa seu talento por trás de uma máscara
de tinta pra, num curto espaço de tempo, se tornar
o melhor conselheiro de um pequena-grande quanti-
dade de pessoas...digo: raros. Num show, digo: numa
desculpa pra um bando de gente Rara se encontrar.
[como diria o próprio]

- O mágico começa da porta de saída pra fora, onde lá fora
o mundo vai cobrar de nós um personagem um tanto quanto maior
a cada dia. E é com nosso gesto a gente vai provar o quanto amadureceu.
Não é com palavras, palavras, palavras não (...)

Então ele nos fala de como levar uma máscara
- alegre como aquela -, um personagem, pro
seu cotidiano. não por fingir. não por [só] querer.
mas por nos ser exigidos.
Agora me vejo como um pobre mortal; na tentativa
de lembrar parte da sábias palavras do moço pintado,
da alegria da moça que dançava na fita a metros de altura,
do cara do trapézio ... de cada um.
Sem horas e Sem dores...não dá.


Viva a tua maneira
Não perca a estribeira
Saiba do teu valor

E amanheça brilhando mais forte ♪'




O Teatro Mágico. Salvador, 20 de maio de 2008

2 comentários:

amanda lee jones disse...

sem dúdiva, o mundo vai exigir muito mais do que você mesmo...

Dan Souza disse...

E amanheça brilhando SEMPRE mais forte!