sábado, 26 de abril de 2008

Dos 45 segundos


Após abrir a janela ( porque só agora?) a luz invade
as quatro paredes, reflete nos moveis envernizados,
causa segundos de dor nos olhos. Mas a brisa também
toma seu lugar ali, e compensa o incomodo.
Então ele força a saída de todo ar dos seus pulmões e
depois inspira com calma e concentração pra ver se
sexo tem mesmo cheiro próprio.
Depois volta a se deitar e pensa, "se temos paladar, audi-
ção, olfato, visão e tato...como a luz pode fazer doer nos-
sos olhos!?"
A torneira, ao longe, se fecha e ele interrompe seu pensa-
mento.
Aonde foram parar os sentidos não-nomeados?


4 comentários:

bruna f. disse...

acho que estão no coração. tu escreve tão bem

Dan Souza disse...

Tu escreve tão bem! [2]

Amo!

Fenrisar disse...

See Please Here

amanda lee jones disse...

eu bem queria saber onde eles foram parar...
acho que exatamente por não serem nomeados, a gente os tem o tempo todo o não percebe...