sábado, 10 de julho de 2010

Meio-Amargo


Ah, esse papo sempre com cara de sábado à tarde. A letra dos hermanos, a foto com legenda especial, a cor, o som. Minha completa falta de rima, a extinção das minhas falas decoradas, minhas saudosas saudades. É como ver-se por aí, em alguns bons espelhos e pupilas um tanto quanto dilatadas. Como é bom encontrar um pouco de mim na esquina que dobro. O amargo é querer se perder. Como um desejo que cresce como saliva em baixo da língua, um bocejo não programado, um arrepio sutil. Ter consciência que és fonte de tudo que agrada no teu redor, jogar-se a isso, desprendendo suas amarras, gritando contra rouquidão ou – tão válido quanto – apertando o botão verde à sua esquerda.

2 comentários:

Rα i sα ~ disse...

seu texto me dá vontade de cantar - los hermanos e maria rita, sobretudo. e você é amargo-meio-doce, bom assim, melhor não confundir :)

Tatiana disse...

"O amargo é querer se perder..." É a doçura de se (re)encontrar, pode ter certeza! Ja me encontrei muitas vezes, mas me perdendo!
belas´palavras