quinta-feira, 1 de julho de 2010

Agridoce


Todo sabor que me invade, toda caricia plena, toda novidade, perfume, pele e aventura dá esse tom rosado no meu último reflexo. Todo dissabor, amargura, veneno, sal e planos batidos que não cortam o açucar e afeto. Há de ser bem mais esse querer que me aperta peito e põe pra dormir. Ah, esse contraste em monocor. 'Semicoisas' a tocar. Lingua pra provar. Eternidade pra debater.

Um comentário:

amanda lee jones disse...

puta que pariu! *-*