sábado, 10 de outubro de 2009

Pela lei natural dos encontros

Isso tudo é apenas o modo diferente como vemos as coisas. Uma visão difícil de tudo que passa aos seus olhos. Não é que eu tenha terminado com todo aquele sentimento - mas incomoda quando diz que não os tenho. Há algo mais repleto em mim que ofusca sua cartilha e é ai que você - erro - reage. Não adianta me por em chamadas, em blêfes, suposições e retaliações. Não há espaço pra sua experiência em meus planos. Não mora em mim nem um terço de seu medo e seu credo. O que é real pra mim eu não posso tocar. Isso é essência e não se pode tirar. Serei ausência em sua roda, seu futuro e no, precocemente dito, amor. Algo que você provou não saber o que é, eu falo de liberdade. Falo sobre coisas que eu amo e que desse caminho não devo me retirar.


Don’t tell me that my masterplan
Ain't coming through
Don't tell me that I won't
I will

Don't tell me cause I know what's real
What I can do

5 comentários:

Victor Moraes, disse...

Vai perder a chance de se calar comentando?

Caco disse...

Eu me senti no lugar do alvo das palavras. Acho que consigo compreender o outro lado.

Angelo A. P. Nascimento disse...

"Algo que você provou não saber o que é, eu falo de liberdade. Falo sobre coisas que eu amo e que desse caminho não devo me retirar."

Não se retire mesmo.
O coração sempre será seu melhor guia.
Abração

Tiago Fagner disse...

Muito boa a descrição do QUEM SOU EU :), e o texto. Espero que não perca o fio que separa seu caminho, do que estão te empurrando. De que estado vc é?
www.tiagofagner.blogspot.com

Rα i sα ~ disse...

É, você tinha razão.