domingo, 2 de agosto de 2009

É, me esqueci da luz da cozinha acesa

Um dia coloquei atrás da porta do quarto o desenho de uma caixa. Com dois, ou três furos. Absolutamente idêntica a aquarela do meu livro favorito. No livro, um carneiro dormia ali dentro. O dono do carneiro pedia pra enxergar as coisas com o coração. Que havia mais coisas no mundo do que números. Eu coloquei aquele desenho ali pra todo dia olhar e ver um carneiro dormindo através dele. E quando não visse mais, teria me tornado como todos os outros. Talvez tenha perdido a fé. E ali seja só o desenho de um caixa '
Meu ca em pó solúvel
Minha fé deu

Minha
em pó solúvel




Um comentário:

SrT° Cajuh disse...

então o carneiro ficará condenado além de sono, no mundo do seus esquecimento? Pois quando você se torna igual aos outros, deixa de ser você pra ser mais um e o carneiro de alguma forma deixará de existir... ao menos pra você'

- não esqueça o carneiro, ainda que aquarela seja tirada da parede ela só deixa de existir quando você a afasta de seus pensamentos ou sonhos... realidade é assim'

seus textos são belos e criativos'
- e eu um intrometido'
=O