quarta-feira, 17 de junho de 2009

Como queimar as cartas de amor


You've got 4&20 hours
Just one day to prove to me
That your love has got the power
To make me believe
Or take me where I wanna be
Tudo poderia virar cinza. Penso que é possível. Apagar, ou diminuir. Compactar. Queimar. Então, tudo pode virar cinza. Dechavar, enrolar, fumar e acabar. Antes, não há como pular o processo de fazer a cabeça. De ser teu o pensamento. De cantarolar mantras cada vez que lembrar dos viscerais olhares. Sofrer a cada vez que lembrar do abismo que habita entre o querer e poder. O tempo perdido. O futuro desfalcado. A vontade não morta. Antes de apagar tudo, como tantas vezes fazemos na vida, as coisas ainda perpetuam um tempo no pensamento. E, nele, ainda se pode haver outras combustões.

A paixão é como Deus / Que quando quer / Me toma todo o pensamento

Dirige os meus movimentos / Meu passo é teu / Meu pulso é desse todo poderoso sentimento

2 comentários:

Rafael Rodriguez disse...

postei na escada depois de ter lido aqui.

bj.

Angelo A. P. Nascimento disse...

Escrevi um post que é assim: "Como esquecer um amor inesquecível em 22 passos"
Juntemos os posts e ajudemos a humanidade!
rs
Abração
Belas palavras!