terça-feira, 21 de julho de 2009

Sweet Dreams - Parte II

Forçar a mente pra que seus sonhos de infância voltem é uma tentativa vã de resgatar algo que você não é mais. A vida colore - as vezes mancha - a folha em branco que é você quando nasce. O mundo ao redor daquela criança muda mais do que ela mesma. As coisas parecem mais difíceis agora, mesmo que no fundo você saiba que são as mesmas. 'Criança, a vida é fácil' - diz a música. A frase não tem sentido algum se a sua primeira palavra for retirada. A sabedoria é algo que você perde, não adquire. Sábios são os que mantém os pensamentos que vieram consigo. Não os que colocam numa bagagem seus erros e acham só um nome pra bonito pra isso. Se oferecer a face pra vida dar porrada é sabedoria os grandes gênios seriam prostituídos, falidos, doentes, mendigos... espera, eles são!? Quando você desistir de procurar um motivo que te leve pra cama, e que, principalmente, te faça a levantar dela no outro dia, é algo que aparece quando cansamos de procurar. Tiros no escuro, medo de sofrimentos, coisas assim fazem até você sentir falta da época em que você ia se deitar descrente de bons sonhos. Mas o Destino - sim, letra maiúscula - brinca com sua cara. Te põe nariz de palhaço. Te faz brincar de ser feliz. E então, quando desiste, volta a sonhar. Doces sonhos. Dos que te absorvem. Não mais você os absorve. Seria uma comédia se nossa vida fosse o 'show de truman', um drama se fosse uma peça grega, mas na vida real são apenas doces ilusões passageiras. Seria mais sublime se dos sonhos que vivemos acordados pudéssemos despertar. São passageiros e, contraditoriamente, levam um pouco de nós e deixam um pouco si. Falar de nada adianta. Paro por aqui. Feche os olhos, sonhe com um sonho. Use-o até que ele use você. E então, se mova.
À noite sonhei contigo,
E não tava dormindo!
Justo ao contrário,
Estava bem desperto...
{...}
Quem dera me livrar
Pra sempre de mim mesmo!
E só me reencontrar
Lá no teu doce abismo ♪'

3 comentários:

Rα i sα ~ disse...

Odeio quando teus textos soam meio que sem esperança, ensaiado em monocor... Mas não consigo não amá-los, soando como for. Lindo.

'sofrer com tanta angústia
por coisas tão pequenas
gastar essa energia,
assim, não vale a pena {...}'

SrT° Cajuh disse...

Não sei o que os torariam... mas acredito que os sábios que dão a face à vida, podem o fazê-lo de diferentes maneiras, mas nem dos sábios se escondeu dentro de seu próprio casco, porque se o fizesse não seriam conhecidos... ou mesmo suas grandes descobertas no fundo podem significar fugas da vida que tinham pra viver, pois conseguiram ir contra Destinos (letra maiscula) e viverem o que podiam não ser... lembrando de Mozart'

apenas assumindo as contradições da vida'

Lindos textos, vi um pouco do que já conhecia de você (não sei como)...

"criança, a vida é facil" se você quer viver'

gosto de você adorável anjo humano e amigo'

Angelo A. P. Nascimento disse...

Gosto da maneira com que você questiona o mundo ao seu redor, tendendo sempre a modificá-lo Bonitas palavras, meu Rei.
Abraços