segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Contar a vida em números

Já prometi não tocar no 'nome' e depois de dez destes textos, mais uma vez, parto uma promessa ao meio. Rompo comigo, como em tantas outras vezes. Seis ou sete delas talvez. Não vou ser romântico, nem culpado. Eu que não entendi as brechas, que não ligueis os pontos (desde criança eu era péssimo naqueles jogos) e deixei de ver o que sempre me esperou. A não felicidade, a traição, a total falta de escrúpulos e de culpa. Não vi que 8 é sempre mais que 1. Formei 2, sem nem querer saber porque - e a culpa não é minha. A culpa é sua. E talvez uma frase possa apagar tudo de ruim e deixar só coisas boas; e ela não é 'te amo' ou coisas do tipo. Essa doença que cansou os ouvidos da platéia, faz ninguém ligar {...}

Você é a minha cura [?]
- se é que alguém tem cura -
Você quer que eu
cometa uma loucura!?
Se você me quer,
Cometa!



4 comentários:

Victor Moraes, disse...

pronto, terminei a lista de músicas que sempre quis usar. Algumas tenho vontade de repetir, outras tantas virão...

Juka Lordello disse...

Contando...

:)

Juka Lordello disse...

A outra está aqui.*

E onde esta a faca?

Dan Souza disse...

Existe mesmo um culpado nessa história??? Oo

Te amo!