sábado, 14 de março de 2009

Há vagas!

Como duas partes de uma mesma coisa não podem mais viver juntas? O encaixe não se tolera mais ... Como se uma maçã partida horizontalmente ganhasse um tipo de carga absolutamente igual. Repele. Ainda me pede que explique? Algo tão forte, mas de cada um. Sem conjunto de palavras que solucione, sem pesos de atitudes que as provem. Lembra de cada história? Ainda vivas e se repetindo incessantemente num plano passado de tempo. Repelidos, afastados. Ouça, vá viver. E lembra cada instante que passou '...cada perigo, da audácia do temor'. E peço aos Deuses que cumpram por mim minhas palavras proferidas de árvores, maçãs, reinos e fantasias. Todas as bocas tanto falam, nada sabem. Toda cena repleta de figurantes, cenários e trilhas que se chocam. Sem embalo, sem ritmo. Tudo o que quiseres, menos o meu amor.

- volta a pensar então
Sinto, penso, espero, fico tenso toda vez
Que nos encontramos, nos olhamos sem viver
Pára de fingir que não sou parte do seu mundo
lembra, lembra, lembra, cada instante que passou'


3 comentários:

Vinícius Muniz disse...

e essas maçãs partidas, mesmo que partidas não deixam de ser maçãs. apenas deixaram de ser inteiras, completas, agora são duas, distintas... cada uma com seu sabor, com suas sementes (mesmo que metade delas) e com sua polpa... mas, podem ser comidas por uma pessoa só e se tornarem 1 outra vez no misturar do morder e degustar!

Dan Souza disse...

Como pode isso?
Duas partes, um encaixe perfeito parar de ser tão perfeito assim?!
Só vejo uma explicação:
Alguma coisa quebrou. E esse pedacinho que falta pra o encaixe voltar a ser perfeito está por aí, perdido em algum lugar...

Morro de saudade de você!

Te amo!!!

amanda lee jones disse...

concordo com Dan. that's all.